O Vale do Ribeira conta com variadas riquezas que podem ser alavancadas para o desenvolvimento econômico da região. A economia local tem participação relevante da agropecuária e é marcada pela presença majoritária de pequenos negócios. A região apresentou avanços até 2014 em alguns de seus indicadores econômicos e de mercado de trabalho, mas apontou queda acelerada nos anos de recessão (2015 e 2016). A seguir, serão apresentados os principais indicadores da economia e do mercado de trabalho no Vale.

O Vale do Ribeira conta com variadas riquezas que podem ser alavancadas para o desenvolvimento econômico da região. A economia local tem participação relevante da agropecuária e é marcada pela presença majoritária de pequenos negócios.

A região apresentou avanços até 2014 em alguns de seus indicadores econômicos e de mercado de trabalho, mas apontou queda acelerada nos anos de recessão (2015 e 2016). A seguir, serão apresentados os principais indicadores da economia e do mercado de trabalho no Vale.

PIB e PIB per capita

O PIB (Produto Interno Bruto) corresponde à soma do valor de todos os bens e serviços produzidos anualmente em uma determinada região.

Em 2018, o PIB dos 22 municípios do Vale do Ribeira, juntos, foi de R$ 10,4 bilhões, o que correspondeu a 0,47% do PIB do estado de São Paulo – uma evolução em relação a 2008 (0,34%).

Os munícipios com maior participação no PIB do Vale são Registro, Cajati e Ilha Comprida, que, juntos, respondem por 46% do PIB total da região.

O PIB per capita é o resultado da divisão do valor do PIB pelo número de habitantes da região. Em 2018, o Vale apresentou um PIB per capita de R$ 31,4 mil, valor 38% menor que o PIB per capita estadual. Entre 2008 e 2018, o PIB per capita do Vale revelou um crescimento acumulado de 10%, com período de crescimento constante até 2014 e um período de queda entre 2015 e 2016, voltando a crescer a partir de 2017.

Participação do Vale no PIB Estadual



grafico

Fonte: Contas Regionais/IBGE e SEADE.

PIB per capita (em milhares de reais)



grafico

Fonte: Contas Regionais/IBGE e SEADE.

Participação dos setores no PIB

O Valor Adicionado Bruto (VAB) corresponde ao valor que cada setor agrega ao que é produzido em um território. A análise da composição setorial do VAB demonstra a participação das diversas atividades na economia da região.

O VAB no Vale do Ribeira, em 2018, se dividiu em Serviços (43%), Indústria (27,5%), Agropecuária (14,9%) e Administração pública (14,6%).

Em comparação com o estado de São Paulo, o Vale do Ribeira se caracterizou, principalmente, pela maior participação da agropecuária, da administração pública e da indústria e pela menor participação dos serviços.

Distribuição do Valor Adicionado Bruto (VAB) por setor da atividade



comparação média SP

Fonte: Contas Regionais/IBGE e SEADE.

Fonte: Contas Regionais/IBGE e SEADE.

Número de estabelecimentos

Os estabelecimentos representam as empresas, considerando-se como tal as unidades de cada empresa separadas espacialmente, ou seja, com endereços distintos.

Em 2019, existiam na região do Vale do Ribeira 6.213 estabelecimentos formais, um crescimento de 9% em relação ao ano de 2008.

Entre 2009 e 2015, a tendência no Vale foi de crescimento do número a taxas decrescentes, sendo que nos quatro anos posteriores houve queda no número de estabelecimentos da região.

Número de estabelecimentos



grafico

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Tamanho das empresas

O tamanho do estabelecimento pode ser determinado, através da Relação Anual Informações Sociais (RAIS), pelo número de empregos nele existente.

Na região do Vale do Ribeira, 85,7% dos estabelecimentos são microempresas¹, proporção superior à média estadual. As pequenas empresas representam 12,7% dos estabelecimentos da região e as médias e grandes, juntas, apenas 1,6% do total.

Nota: ¹ São considerados micro e pequenas empresas (MPE) estabelecimentos de comércio, serviços e agropecuária com até 49 empregados e, na indústria e construção civil, com até 99 empregados.

Distribuição dos estabelecimentos por tamanho¹ (2019)



comparação média SP

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Participação da MPE¹ nos empregos, estabelecimentos e massa salarial (2019)



grafico

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Empregos com carteira assinada

Em 2019, a Região do Vale do Ribeira registrou 55.605 empregos formais. Entre 2009 e 2019 o número de empregos formais aumentou 23% no Vale.

Registro é o município com o maior número de empregos formais, concentrando 24% do total. Registro, Cajati, Pariquera-Açu e Apiaí, juntos, concentram mais da metade dos empregos formais da região.

O comércio é responsável por 25,9% dos empregos formais no Vale e o setor de serviços por 29,9%

Empregos com carteira (em milhares de empregos)



grafico

Nota: ¹ Foi considerado a população entre 15 a 24 anos para os Empregos Formais dos Jovens

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Distribuição dos empregos com carteira assinada por setor da atividade econômica (2019)



grafico

Fonte: RAIS/Ministério da Economia.

Economia rural

Comparando com o estado de São Paulo, o Vale do Ribeira é caracterizado por uma participação maior da agropecuária em sua economia. Algumas de suas principais cadeias produtivas e aptidões são a bananicultura, a bubalinocultura, a produção de palmito pupunha, a criação de ostras, a produção de chás, entre outras.

Há uma concentração maior de estabelecimentos agropecuários no Vale na produção de banana, que corresponde a 10% dos estabelecimentos agropecuários da região.

Empresas agropecuárias por tipo de produto¹



grafico

Nota: ¹Participação no total de estabelecimentos agropecuários por produtos da lavoura permanente.

Fonte: Censo Agro de 2017 (Dados preliminares).

Principais cadeias e aptidões

Apicultura e Meliponicultura

A expansão e diversificação das culturas e a implantação de sistemas agroflorestais e agroecológicos abrem espaço para o encremento das atividades.

Bananicultura

A maior concentração da produção de Banana/hectare do Estado.

Baulbalinocultura

Mais numerososo rebanho do Estado, onde se encontra o maior laticínio da América Latina, voltado ao processamento de leite de búfala.

Criação de Ostras

A mais renomada produção de ostras do Estado de São Paulo.

Floricultura e plantas ornamentais

Destaca-se a produção de flores de torrão em Registro, Pariquera-Açu e Iguape. Em Iguape registra-se, também, a produção de flores de corte, principalmente antúrios.

Fungicultura

Clima propício à diversificação e ao aumento da produção de vários tipos de cogumelos.

Olericultura

Com destaque para o pimentão, sendo Apiaí o município responsável por 80% da produção do Estado.

Piscicultura e pesca

Presente na região, a piscicultura e a pesca têm grande potencial para a ampliação.

Preparação de Chá

Reconhecido pela grande produção de chá tempos atrás, o cultivo no Vale do Ribeira tem boa aptidão e pode ser ampliado.

Pupunha

O Estado de São Paulo é o maior produtor de palmito pupunha; e a maior concentração da produção está no Vale do Ribeira.

Silvicultura

Exploração de pinus, destinada principalmente à resinagem do breu para a indústria de tintas.



Fonte: Diagnóstico Agro CDRS - Vale do Futuro/Secretaria de Agricultura e Abastecimento - SAA-SP.


Indicadores de economia

dos municípios do Vale do Ribeira


grafico

Município PIB¹
(R$/2018)
PIB per capita²
(R$/2018)
Estabeleci
mentos (2019)
Empregos
formais
(2019)
Apiaí594,724,25324.800
Barra do Chapéu81,214,387738
Barra do Turvo91,011,867689
Cajati1.452,550,84056.690
Cananéia300,724,01701.602
Eldorado321,120,82872.022
Iguape1.169,838,13722.803
Ilha Comprida1.340,0122,22011.700
Iporanga51,312,157570
Itaoca41,312,447307
Itapirapuã Paulista42,110,082568
Itariri276,216,02581.602
Jacupiranga530,429,73933.253
Juquiá328,917,43472.347
Miracatu392,519,74212.981
Pariquera-Açu507,425,93484.316
Pedro de Toledo143,712,899929
Registro1.966,635,01.44013.550
Ribeira48,114,462530
Ribeirão Grande266,734,870597
Sete Barras370,628,83451.854
Tapiraí141,518,01231.157
Município PIB¹
(R$/2018)
PIB per capita²
(R$/2018)
Apiaí594,724,2
Barra do Chapéu81,214,3
Barra do Turvo91,011,8
Cajati1.452,550,8
Cananéia300,724,0
Eldorado321,120,8
Iguape1.169,838,1
Ilha Comprida1.340,0122,2
Iporanga51,312,1
Itaoca41,312,4
Itapirapuã Paulista42,110,0
Itariri276,216,0
Jacupiranga530,429,7
Juquiá328,917,4
Miracatu392,519,7
Pariquera-Açu507,425,9
Pedro de Toledo143,712,8
Registro1.966,635,0
Ribeira48,114,4
Ribeirão Grande266,734,8
Sete Barras370,628,8
Tapiraí141,518,0
Município Estabeleci
mentos (2019)
Empregos
formais
(2019)
Apiaí532,04.800,0
Barra do Chapéu87,0738,0
Barra do Turvo67,0689,0
Cajati405,06.690,0
Cananéia170,01.602,0
Eldorado287,02.022,0
Iguape372,02.803,0
Ilha Comprida201,01.700,0
Iporanga57,0570,0
Itaoca47,0307,0
Itapirapuã Paulista82,0568,0
Itariri258,01.602,0
Jacupiranga393,03.253,0
Juquiá347,02.347,0
Miracatu421,02.981,0
Pariquera-Açu348,04.316,0
Pedro de Toledo99,0929,0
Registro1.440,013.550,0
Ribeira62,0530,0
Ribeirão Grande70,0597,0
Sete Barras345,01.854,0
Tapiraí123,01.157,0

Fonte: Contas Regionais/IBGE e RAIS/Ministério da Economia.

Nota: ¹ Em milhões de reais. Valores deflacionados com base no IPCA.

Nota: ² Valores deflacionados com base no IPCA.

Município Estabeleci
mentos (2019)
Empregos
formais
(2019)
Apiaí532,04.800,0
Barra do Chapéu87,0738,0
Barra do Turvo67,0689,0
Cajati405,06.690,0
Cananéia170,01.602,0
Eldorado287,02.022,0
Iguape372,02.803,0
Ilha Comprida201,01.700,0
Iporanga57,0570,0
Itaoca47,0307,0
Itapirapuã Paulista82,0568,0
Itariri258,01.602,0
Jacupiranga393,03.253,0
Juquiá347,02.347,0
Miracatu421,02.981,0
Pariquera-Açu348,04.316,0
Pedro de Toledo99,0929,0
Registro1.440,013.550,0
Ribeira62,0530,0
Ribeirão Grande70,0597,0
Sete Barras345,01.854,0
Tapiraí123,01.157,0

Fonte: Contas Regionais/IBGE e RAIS/Ministério da Economia.

Nota: ¹ Em milhões de reais. Valores deflacionados com base no IPCA.

Nota: ² Valores deflacionados com base no IPCA.

Fonte: Contas Regionais/IBGE e RAIS/Ministério da Economia.

Nota: ¹ Em milhões de reais. Valores deflacionados com base no IPCA.

Nota: ² Valores deflacionados com base no IPCA.