24/09/2021

Municípios do Vale do Futuro podem aderir ao Programa Cidade Acessível para investimentos em acessibilidade

Programa Cidade Acessível contempla municípios do Vale do Futuro com investimentos em equipamentos e obras de acessibilidade visando à qualidade de vida das pessoas com deficiência.

O programa Cidade Acessível, do Governo de São Paulo, é mais uma ação que integra o Programa Vale do Futuro, ampliando a acessibilidade no Vale do Ribeira. Os municípios interessados poderão aderir ao programa para a aquisição de equipamentos e obras voltadas à melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência, por meio de parcerias que envolvem investimentos em diversas áreas, como esporte, lazer, infraestrutura, acessibilidade e educação.

O evento de lançamento, no Palácio dos Bandeirantes, aconteceu no Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (21/9), durante uma ação em homenagem aos atletas e treinadores paralímpicos dos Jogos de Tóquio.

O programa será desenvolvido por meio de parceria entre as secretarias de Direitos da Pessoa com Deficiência e de Desenvolvimento Regional. “Neste momento estamos construindo um Estado mais acessível, mais justo e mais igualitário. Neste Governo priorizamos a vida e as pessoas acima de tudo”, explicou o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Para o coordenador-geral do Programa Vale do Futuro, Marco Aurélio Gomes, fazer parte desta ação poderá trazer avanços em acessibilidade no Vale do Ribeira. “É fundamental que os municípios do Vale do Ribeira se inscrevam no Programa, pois é o meio para que possam realizar convênios com a Secretaria de Desenvolvimento Regional para a aquisição de equipamentos e obras importantes, como serviços de acessibilidade e adequação de calçadas. É um passo fundamental para levarmos a acessibilidade e igualdade para todos os municípios do Vale”, explicou.

Os municípios paulistas devem receber investimentos de R$ 110 milhões para obras de inclusão e acessibilidade. Para as escolas da rede estadual o programa prevê a entrega de kits de tecnologia assistiva para alunos com deficiência visual da rede regular de ensino e kits de acessibilidade para 104 salas de recursos, um investimento de mais de R$10,2 milhões.

Os recursos também serão aplicados em novos projetos de academias adaptadas e na aquisição de equipamentos como cadeiras anfíbias para acesso de pessoas com deficiência ao mar e cadeiras de trilha adaptadas.

Os municípios podem realizar a adesão ao programa por meio de um QRCode  que pode ser acessado no link: https://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/wp-content/uploads/2021/09/QRCODE_forms.pdf

22/09/2021

Sutaco apoia o artesão tradicional do Vale do Ribeira

Com ações que integram o Programa Vale do Futuro, artesãos tradicionais contam com apoio do Governo do Estado de São Paulo.

Gerar emprego e renda aos artesãos tradicionais do estado de São Paulo é o trabalho desenvolvido pela Sutaco (Subsecretaria de Trabalho Artesanal nas Comunidades), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. Ações que estão em consonância com o Programa Vale do Futuro que tem o objetivo de levar desenvolvimento com sustentabilidade para a região do Vale do Ribeira.

Além de promover a inclusão produtiva dos artesãos, a missão da Sutaco é resgatar e divulgar as formas tradicionais de expressão cultural, ampliando as possibilidades de comercialização do artesanato produzido na região. O Vale do Ribeira é reconhecidamente o território que tem o maior número de artesãos tradicionais do estado e a ação da Sutaco muito pode agregar aos talentosos artesãos da região que lidam com cerâmica, argila, trançado de fibras de plantas locais (milho, bananeira, palmeiras da região, taboa) e entalhe e escultura em madeira.

Artesanato tradicional do Vale do Ribeira: rabeca em caixeta (trabalho em madeira); cerâmicas, trançados de fibras de palmeira e de bananeira.

Segundo Beatriz Freitas, coordenadora do Artesanato da Sutaco, entre os serviços que a instituição oferece está o cadastramento do artesão paulista que possibilita a identidade profissional como artesão no território do Estado e possibilita participar das feiras, exposições e eventos em todas as cidades paulistas. A Sutaco também emite a Carteira Nacional do PAB (Programa do Artesanato Brasileiro) e por meio de parceria com o Sebrae oferece orientação para gestão financeira, emissão de notas fiscais e gerenciamento do negócio. Além disso, a instituição oferece apoio na comercialização dos produtos em eventos próprios ou de terceiros e divulgação nas redes sociais e diversos canais, além da Vitrine do Artesanato Paulista, criada recentemente para expor e comercializar produtos pela internet (www.artesanatopaulista.com.br).

Beatriz conta ainda que a Sutaco dispõe de uma equipe de curadoria que possibilita conceder o título de mestre artesão àqueles que comprovadamente detêm uma técnica e disseminam seu conhecimento. Para ela, o grande desafio ao trabalhar com esse público tradicional é estabelecer contato. “Os artesãos, em grande maioria, vivem em comunidades afastadas das cidades e têm dificuldade de acesso aos serviços, especialmente neste período de pandemia em que quase tudo tem que ser feito de forma virtual. Para localizá-los desenvolvemos um trabalho em conjunto com as prefeituras que nos auxiliam nesse contato”, explica. Ainda assim, a Sutaco conseguiu ampliar o número de artesão no último ano, de 22 em 2020 para 68 em 2021, aumento de 209%, comemora a coordenadora.

O grupo Arte Looze, do município de Apiaí, é um exemplo de como o artesão da região pode se beneficiar. Formado por cinco integrantes, o Arte Looze, que produz artesanatos em cerâmica, é o primeiro grupo familiar reconhecido do estado de São Paulo. Tudo começou, no município de Bom Sucesso do Itararé, quando a d. Diná Looze passou a produzir peças em cerâmica, a partir do barro encontrado na região, para ter uma fonte de renda para subsistência. Sem técnica, apenas com seu talento e intuição transmitiu seu conhecimento à sua filha Jaqueline Looze e ao seu marido Aparecido da Silva Medeiros que produz peças nos horários em que está de folga do emprego. Loide e Moacir de Lima passaram a integrar o grupo quando se estabeleceram no bairro de Mineiros, em Apiaí.

Jaqueline Looze: “Com o apoio da Sutaco, nossa preocupação agora é produzir para atender à demanda”.

Para Jaqueline, contar com o apoio da Sutaco fez toda diferença no desenvolvimento do negócio. “Sempre trabalhamos com artesanato em casa e vendemos para gerar renda para nosso sustento, mas nossa atuação era muito limitada. Depois que formalizamos nosso cadastro na Sutaco as coisas mudaram. Mantemos um contato constante e já recebemos algumas visitas da Beatriz para nos orientar. Pela primeira vez, uma lojista de São Paulo, que conheceu nosso trabalho em um evento que a Sutaco nos convidou, nos procurou e hoje é nossa cliente”, conta Jaqueline. Segundo ela, o desafio agora é criar condições para aumentar a produção. “Quase não temos peças em nosso ateliê para conseguir atender às demandas que estão surgindo”, comemora.

Por conta da pandemia e dos protocolos sanitários, o atendimento ao artesão acontece completamente de forma remota, desde o primeiro cadastro até informações diversas sobre artesanato, tudo através das redes sociais (Instagram: https://www.instagram.com/sutacoartesanato/ e Facebook: https://www.facebook.com/SUTACO) e do e-mail (sutaco@sde.sp.gov.br).

Para se cadastrar na Sutaco é necessário realizar o pré-cadastro no site http://artesanatobrasileiro.gov.br/acesso. Nesta etapa são solicitadas fotos dos produtos, dos instrumentos de trabalho e/ou do ateliê e também um vídeo de até cinco minutos que demonstre o processo produtivo da técnica que deseja cadastrar. A partir daí, a equipe técnica da Sutaco analisa a solicitação e encaminha por e-mail as instruções que também ficam disponíveis na área do artesão. Todo o processo segue a Portaria 1.007/2018, em que é estabelecida a Base Conceitual do Artesanato Brasileiro.

21/09/2021

Coordenadores do Vale do Futuro visitam as instalações do CIC Juquiá

A cidade de Juquiá recebe mais um investimento do Governo de SP que tem a marca do programa Vale do Futuro. É o Centro de Integração da Cidadania “Quinco Soares”, que está sendo implantado na cidade em parceria com a Prefeitura Municipal. Na última semana, o coordenador geral do Vale do Futuro, Marco Aurélio Gomes, e o coordenador regional, Ezigomar Pessoa, estiveram em visita ao espaço que integra serviços do PROCON, SEBRAE, INCRA, Junta Militar e Banco do Povo.

Os coordenadores do programa foram recebidos pelo chefe de gabinete Ercias Muniz de Lima. Eles visitaram as instalações e conversaram com servidores sobre a operacionalização dos serviços. O equipamento também orienta sobre a abertura e formalização de empresas, além de oferecer suporte para microempreendedores, como atualização cadastral e regularização de débitos.

De acordo com o coordenador regional, Ezigomar Pessoa, o CIC Juquiá é um dos avanços que o Governo de SP proporciona aos munícipes facilitando o acesso a serviços públicos. “Uma parceria importante entre a Prefeitura e o Estado que promove o exercício da cidadania e garante mais eficiência no atendimento à população”, explicou.

Para o coordenador geral, Marco Aurélio Gomes, o CIC Juquiá é uma das ações estratégicas do programa Vale do Futuro que visa fortalecer a geração de emprego e renda no Vale do Ribeira. “Esse contato com os servidores e responsáveis pelo espaço é fundamental para estarmos atentos às demandas da população e levarmos as melhorias necessárias para o aumento da qualidade de vida das pessoas”, destacou.

15/09/2021

Construção de flutuantes da Travessia Cananéia/Continente acontece em Guarujá

O prazo de conclusão é de seis meses e assim que estiverem prontos, os flutuantes serão transferidos, pelo mar, até a travessia de Cananéia.

As obras de melhorias nos flutuantes da Travessia Cananéia/Continente, previstas no Programa Vale do Futuro, tiveram início em 24 de junho e seguem avançando. As construções dos dois flutuantes e das duas pontes móveis são realizadas no estaleiro na cidade do Guarujá. Quando estiverem prontos, os flutuantes serão transferidos, pelo mar, até a travessia de Cananéia. A partir daí, inicia-se a etapa de instalação.

O prazo de conclusão é de seis meses. Com investimentos de R$ 5,9 milhões, as estruturas dos atracadouros também serão substituídas. As obras trarão mais segurança e conforto aos usuários da travessia. Enquanto durar a obra, a travessia de pedestres e ciclistas pode ser feita por meio de barco auxiliar.

Os elementos do atracadouro Cananéia/Continente que estão sendo fabricados substituirão os existentes que se encontravam deteriorados. Os novos atracadouros terão condições de proporcionar segurança para a travessia, permitindo tranquilidade à população.

Os investimentos também garantirão uma melhora significativa no sistema, com atendimento mais ágil aos usuários. “São investimentos que irão melhorar ainda mais a capacidade da travessia Cananéia/Continente, aumentando significativamente a segurança dos usuários. É uma região que recebe muitos turistas e os moradores dependem da travessia para suas atividades”, disse Marco Aurélio Gomes, coordenador-geral do Programa Vale do Futuro.

03/09/2021

Prospera Jovem 2021 mais que dobra o número de alunos atendidos no Vale do Ribeira

Em formato virtual, o curso oferece tutoria, capacitação e incentivo financeiro para o início da vida profissional dos jovens e integra as ações do Programa Vale do Futuro.

A segunda edição do Prospera Jovem, no Vale do Ribeira, dá início às atividades com os estudantes do 2º e 3º anos do ensino médio que se inscreveram no programa. O número de jovens matriculados este ano mais que dobrou em relação a 2020 quando 400 jovens foram atendidos.

As aulas para o terceiro ano já iniciaram em 16 de agosto e tem 838 alunos matriculados. O processo de consolidação do cadastro dos jovens que se inscreveram para cursar o 2º ano está em andamento e deve chegar por volta de 800 alunos, de acordo com a coordenação do Prospera Jovem que integra as ações do Programa Vale do Futuro. As aulas para as turmas do 2º ano iniciam no dia 8 de setembro.

As atividades do Prospera Jovem acontecem de forma virtual, no contraturno das atividades escolares. Os participantes contam com um tutor para acompanhar e orientar o desenvolvimento do seu Projeto de Vida. Através de oficinas de empreendedorismo mão-na-massa, reflexões e planejamento acerca de sua vida, além de cursos de capacitação técnica e profissional se preparam para sua entrada no mundo do trabalho.

Os participantes que concluírem o curso receberão um incentivo financeiro para colocar em prática seu plano de vida. Para os jovens do 3º ano, o curso tem duração de cinco meses e recebem ao final R$ 1.200,00 depositados em uma poupança, já para os alunos do 2º ano, o período de curso é de 10 meses e o valor depositado na poupança é de R$ 2.200,00.

O Prospera Jovem integra as ações do Programa Vale do Futuro e é realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, com o objetivo de proporcionar aos jovens matriculados nos dois últimos anos do ensino médio a oportunidade de planejar sua vida futura com foco na formação profissional e no empreendedorismo.

Para Marco Aurélio Gomes, coordenador do Programa Vale do Futuro, ampliar o atendimento do Prospera Jovem na região do Vale do Ribeira é motivo de comemoração. “Estamos muito felizes em levar a um maior número de jovens novas possibilidades e oportunidades para ampliar seus horizontes, além de estimular sua permanência e conclusão do ensino médio. A educação é fundamental para o desenvolvimento social e econômico de uma região, que em suma é o objetivo maior do Programa Vale do Futuro”, avalia Marco Aurélio.

30/08/2021

Polo de Empregabilidade Inclusiva de Registro recebe inscrições

A inciativa faz parte das ações estratégicas do Programa Vale do Futuro e propõe formação profissional, inserção e acompanhamento de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

A partir desta segunda-feira,30/8, o Polo de Empregabilidade Inclusiva de Registro, inaugurado em julho deste ano, recebe inscrições de pessoas com deficiência que desejam ingressar no mercado de trabalho. O horário de atendimento é das 13h às 17h, de segunda a quinta-feira, na sede do Polo de Empregabilidade Inclusiva de Registro, no prédio da Diretoria Regional de Saúde (Rodovia Empei Hirade, Km 2,4). A ação é dirigida a todo Vale do Ribeira e integra o Programa Vale do Futuro que tem objetivo de promover o desenvolvimento sustentável e melhorar a qualidade de vida na região.

“Com pouco mais de um ano e meio de atuação, o Vale do Futuro dá mostras de seu compromisso com ações de curto, médio e longo prazo. São mais de 70 ações estratégicas em andamento, distribuídas em quatro eixos: emprego e renda, infraestrutura e sustentabilidade, qualidade de vida e gestão e governança para o desenvolvimento social e econômico da região do Vale do Ribeira”, afirma o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo Marco Vinholi.

De acordo com a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo, as pessoas com deficiência em idade produtiva (de 16 a 59 anos) do Vale do Ribeira somam mais de 15 mil. Até maio de 2021, apenas 0,18% dos empregados incluídos no mercado formal de trabalho na região tinham alguma deficiência.

O Polo de Empregabilidade Inclusiva tem o objetivo de promover o desenvolvimento profissional, a inclusão e a permanência de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Segundo Samir Deiroz Saleh, coordenador do Polo de Registro, o programa é de responsabilidade do Instituto Jô Clemente, antiga Apae, que tem ampla atuação no trato de pessoas com deficiência.

As pessoas que se inscreverem no programa passarão a ter encontros com profissionais capacitados para tomar conhecimento sobre o programa, a proposta da inclusão social como perspectiva de vida e, durante o processo, identificar suas habilidades, a área de atuação mais adequada para cada um. Com este processo serão definidos os cursos de capacitação profissional que oferecerão certificação e preparo para o mercado de trabalho.

Faz parte das atribuições do Polo de Empregabilidade Inclusiva, a articulação com as empresas da região a fim de apoiá-las no processo de contratação e inclusão desse profissional. A equipe técnica fará ainda o acompanhamento junto às empresas, para garantir as adequações necessárias, e junto aos profissionais contratados, para se certificar sobre a eficiência no desenvolvimento de suas tarefas.

“Oferecer a possibilidade de um emprego amparado por profissionais capacitados é inovador tanto para as empresas quanto para as pessoas com deficiência, um modelo que aumenta a perspectiva da perenidade da contratação. O Polo de Empregabilidade Inclusiva é uma iniciativa que reforça o propósito do Programa Vale do Futuro de oferecer mais oportunidades e melhor qualidade de vida a todos os cidadãos do Vale do Ribeira”, comenta Marco Aurélio Gomes, coordenador do Programa Vale do Futuro.

26/08/2021

Faculdade de Tecnologia é realidade no Vale do Ribeira

A Fatec (Faculdade de Tecnologia) de Registro é uma realidade no Vale do Ribeira. O investimento faz parte do Programa Vale do Futuro, que visa transformar a região e gerar novas possibilidades de trabalho e empreendedorismo.

Nesta quinta-feira (26), o Coordenador Geral do Programa Vale do Futuro, Marco Aurélio Gomes, o Coordenador Regional da iniciativa, Ezigomar Pessoa e o Prefeito de Registro Nilton Hirota, acompanharam os trabalhos. As obras tiveram início em agosto, com investimentos de cerca de R$ 1,4 milhão do Governo do Estado. A unidade funcionará em um bloco da Escola Estadual Dr. Fábio Barreto, localizada no bairro Vila Tupi. Inicialmente, a faculdade do Centro Paula Souza vai oferecer o curso superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

A unidade da Fatec contará com três salas de aula, dois laboratórios de informática, sala de internet, sala multiuso, biblioteca, salas administrativas, sanitários com acessibilidade e recepção. O prazo para conclusão das obras é de 240 dias.

 O Coordenador Geral do Programa Vale do Futuro, Marco Aurélio Gomes, comemora mais esta conquista para o Vale do Ribeira. “O Vale do Futuro está levando oportunidades para a população. Com a Fatec, que é um ganho para a educação de nível superior na região, nossos jovens estarão mais preparados para o mercado de trabalho. Investir no jovem é investir no futuro”, finalizou.